quarta-feira, maio 12, 2010


Extrahumano X ExtraET Imaginário

1
O dia me faltou luz,
Na manhã, bem do amanha,
Podia o sol, não brilhar no dia,
Com a noite, da lua cinza e fria,
E essa lagoa preenchida com lagrimas,
Me pareceu, ser tão distantes de outros anos,
Cavamos, cavamos, cavamos...porque?
- não vemos a hora para saber o que tem no fundo?
O vento passa seco, sem frescor,
E aquele fruto doce, é tão amargo quanto a dor ?
Como se eu fosse uma árvore,
Tranquila, respirando, o ar que me deixa pura,
E meu ultimo suspiro, respirou o ser humano,
Cortando minha madeira, arrancando minhas raizes,
Com sua destruição, e imconprienção,
-Quem me dera, se eu fosse de outro planeta,
-E me chamassem, de ET de marte,
-Sera que eu seria pior ser que já existiu no universo?


[Cíntia Mara da Silva ]